25 ANOS
DE CIRCULAÇÃO ININTERRUPTA
1993-2018
Rua Eleotério Tavares, 248 – Rocio Pequeno
(47) 3444.1926 | São Francisco do Sul - SC
jornalnossailha@jornalnossailha.com.br

PREFEITURA COBRA E CONCESSIONÁRIA APRESENTA MEDIDAS PARA GARANTIR O FORNECIMENTO DE ÁGUA ATÉ O FINAL DA TEMPORADA

PREFEITURA COBRA E CONCESSIONÁRIA APRESENTA MEDIDAS PARA GARANTIR O FORNECIMENTO DE ÁGUA ATÉ O FINAL DA TEMPORADA

Em reunião realizada na manhã desta sexta-feira (10), o prefeito em exercício Walmor Berretta Júnior solicitou que a concessionária Águas de São Francisco do Sul apresentasse quais as medidas que adotará para garantir o fornecimento de água durante o restante da temporada no município, entre outras ações. “A população precisa saber quais as providências que a concessionária adotará a curtíssimo, curto, médio e longo prazo. Além dos dados que a empresa vai apresentar, o importante é falarmos sobre o que o aconteceu e o que vai ser feito. A população francisquense, o Executivo e o Legislativo exigem essas respostas”, disse Walmor.

Atendendo à solicitação, a diretora presidente da empresa, Reginalva Mureb, elencou cinco ações imediatas: colocação de 10 caminhões pipa à disposição do município e um caminhão cheio de prontidão na ETE do Majorca; distribuição gratuita de 200 caixas d’água com capacidade de 350 a 500 litros para famílias de baixa renda nas localidades onde houve escassez de abastecimento; aumento de empregados no call center de seis para 12 pessoas; a elaboração de um estudo, até o dia 1º de março, para ampliação no sistema de armazenamento e distribuição de água; e o desconto na tarifa de dezembro para residências e estabelecimentos comerciais que foram prejudicados durantes os dias em que faltou água na cidade, principalmente nos balneários.

Participaram da reunião o presidente da Câmara, Álvaro José Siebers e os vereadores Dioclésio Izidoro Antunes, Edson Eduardo Rita, João Carlos de Miranda, Salvador Luiz Gomes e Wilson Ledoux Batista. Do Executivo municipal, estiveram presentes os secretários de Governo, Marcos Arzua; de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Claudio Pereira dos Santos; de Turismo, Jamille Machado Douat; de Meio Ambiente, Gabriel Conorath; do Seinfra, Marcelo Lúcio Costa; da Gestão Municipal de Convênios, Angelo Pereira Costa; e a procuradora geral do município, Giulliana Capaldo, além do diretor presidente da Samae, Hilton Rodrigo Schetz. Segundo o coordenador de Operações da Águas de São Francisco do Sul, Vitor Vilela Aroeira, a empresa trabalhou com uma estimativa conservadora de 186.233 pessoas (entre população fixa e flutuante) no dia 31 de dezembro passado. De acordo com Reginalva Mureb, a projeção de pico de população a ser atendida que consta no contrato de concessão para 2019/2020 previa 110 mil pessoas. “Estamos aqui para atender a população, e vimos que essa projeção precisa ser revista”, afirmou a diretora presidente, que anunciou que empresa investiu R$ 6,7 milhões em 2019 no aumento da capacidade de captação e distribuição da água. O secretário Claudio Pereira dos Santos questionou o fato de que, mesmo com os investimentos feitos, o sistema de abastecimento ter colapsado em apenas 15 dias, que foi o período da estiagem no mês de dezembro e início de janeiro. “O argumento principal da concessão realizada na administração anterior foi de que a Samae não tinha capacidade de investimento. Nestes seis anos, vocês dobraram o faturamento e a tarifa e não investiram em capacidade de reservatório e captação. Estão, basicamente, utilizando a mesma estrutura que receberam”, disse. Reginalva contrapôs dizendo que, a partir do que aconteceu, a empresa vai repensar a questão dos mananciais. “Estamos assumindo que precisamos tomar outras ações quanto à produção de água”, disse ela. Segundo a secretária de Turismo, Jamille Douat, as medidas para a garantia do fornecimento de água precisam ser prontamente adotadas para que a atividade turística e a população não venham a ser prejudicadas no restante da temporada, durante o Carnaval e no próximo verão. Os vereadores, que deverão instaurar uma CPI sobre a falta de água na virada do ano, manifestaram sua contrariedade com relação à atuação da concessionária no município. Ao final da reunião, ficou definida a composição do Grupo de Trabalho que irá elaborar, junto com a Águas de São Francisco do Sul, o estudo para a ampliação dos reservatórios e da capacidade de captação para que não ocorram os problemas de desabastecimento: dois representantes da concessionária, dois da Samae, dois da Câmara de Vereadores (um vereador e um técnico); três da Prefeitura (um do governo, um Seinfra e um da Secretaria de Meio Ambiente), um representante do Conselho de Meio Ambiente e um da Aris, a agência reguladora. A primeira reunião do grupo de trabalho deve acontecer na próxima semana.