25 ANOS
DE CIRCULAÇÃO ININTERRUPTA
1993-2018
Rua Eleotério Tavares, 248 – Rocio Pequeno
(47) 3444.1926 | São Francisco do Sul - SC
jornalnossailha@jornalnossailha.com.br

COVID-19 é tema de reunião com médico infectologista em SFS

COVID-19 é tema de reunião com médico infectologista em SFS

A Prefeitura de São Francisco do Sul, por meio da Secretaria de Saúde, promoveu, nesta terça-feira (17), uma reunião com diversos segmentos da sociedade francisquense para tratar sobre o COVID-19 (coronavírus). A atividade foi para ampliar os agentes principais (Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, equipes de saúde, educação e empresas localizadas no município) com a disseminação de informações corretas e precisas sobre a doença. As informações foram passadas pelo médico infectologista do Centro de Atenção Especializada de Prevenção e Saúde (CAEPS), Luiz Henrique Melo. 

De acordo com o vice-prefeito Walmor Berretta Júnior, a prevenção é a melhor das ações. “Muitos podem achar que estamos nos prevenindo demais, mas esta é a melhor das ações. Não queremos chegar a nível de Itália e Estados Unidos. Estamos nos cuidando e cuidando da população para que não ocorra a disseminação do vírus em grande escala no país”, ressalta. 

O secretário de Saúde, Jeferson Pacheco de Moraes, pediu o auxílio da população neste momento delicado. “Não é brincadeira. Temos que tomar as providências e fazer o nosso papel. Se todo mundo fizer o seu papel, teremos um bom resultado no coletivo”. Jeferson também pediu cautela no compartilhamento de fake news pelas redes sociais. “As informações saem sempre dos órgãos oficiais. Fique atento à página da Prefeitura, às divulgações do Ministério da Saúde. A atenção tem que ser redobrada”, afirma. 

Na reunião, o infectologista Luiz Henrique Melo ressaltou a necessidade da serenidade e do comprometimento com o coletivo em um momento de crise. “Não adianta fechar escola e o pessoal se encontrar no shopping, na praia. Os protocolos que estão sendo tomados no Brasil parecem extremos, mas são necessários. Nos preparamos para o pior, mas esperamos o melhor. Medidas muito intensas foram tomadas para diminuir e desacelerar a transmissão. Se cada um fizer sua parte, fica mais fácil”, salienta.