25 ANOS
DE CIRCULAÇÃO ININTERRUPTA
1993-2018
Rua Eleotério Tavares, 248 – Rocio Pequeno
(47) 3444.1926 | São Francisco do Sul - SC
jornalnossailha@jornalnossailha.com.br

Vigilância em saúde informa sobre infestação de escorpiões no Iperoba.

Vigilância em saúde informa sobre infestação de escorpiões no Iperoba.

No último quinze (15) de agosto, a Vigilância em Saúde de São Francisco do Sul identificou uma pequena infestação de escorpiões da espécie Tityus serrulatus, também conhecidos como escorpiões amarelos. O foco foi encontrado na localidade Iperoba e não foram relatados acidentes com humanos ou outros agravos de saúde. De acordo com a Vigilância em Saúde, a situação não é grave, mas é necessário ficar atento para prevenir a proliferação dos animais. A  Secretaria de Saúde por meio da Vigilância em Saúde já está tomando todas as medidas de monitoramento e preconização para manter a situação sob controle. De acordo com Alexandre Muehlmann, coordenador da Vigilância em Saúde, são necessários alguns cuidados para evitar novas infestações. “A recomendação principal é não permitir que o animal encontre um ambiente favorável para reprodução, mantendo residências e quintais limpos e organizados, sem acúmulo de lixo, restos de materiais de construção, entulhos, vedando ralos e frestas de paredes. Dessa forma é possível evitar que os animais encontrem abrigo e, também, a presença de insetos que venham a servir de alimentação ao escorpião”, explica. Os escorpiões amarelos são animais de hábitos noturnos, sendo necessário cuidado redobrado nesse período. Devido à preferência por locais com pouca luminosidade, podem se abrigar em roupas, camas ou outros locais que sejam propícios à sua sobrevivência. Os acidentes ocorrem quando o animal é ameaçado e, em geral, prensado contra a pele, como por exemplo ao se colocar um calçado ou roupa em que o escorpião tenha se abrigado ou ao acessar algum objeto com a mão. O veneno encontra-se armazenado em uma estrutura no final da cauda animal, similar a uma ponta de agulha. 

Em casos de eventuais acidentes, é necessário contatar imediatamente à Vigilância em Saúde para que os fiscais tomem as medidas necessárias. Não é recomendado o uso de produtos químicos para o controle desta praga. Para mais informações, basta entrar em contato com a unidade de saúde mais próxima ou pelo telefone (47) 3471-2278.